Auditoria na Área de RH – Um case de sucesso

 Sigo duas normas para auditar empresas da área de petróleo e gás.

A primeira e determinante é a Resolução ANP 43, especificamente a Prática de Gestão #3 (1)

A segunda é a ISO 10015 (2), em sua totalidade. No processo de auditoria que utilizo, essas normas são modelos de gestão de RH a ser seguida pelas empresas auditadas

Destaco que as empresas que audito, em sua maioria, são multinacionais de grande porte e com práticas globalizadas de gestão de Recursos Humanos. O case de sucesso em destaque é a possibilidade de auditar os processos de capacitação de pessoal seguindo as práticas de gestão descritas na ANP 43 e as diretrizes da ISO 10015. 

O processo de auditoria que utilizo, inicia como uma reunião com todos os gestores de RH da empresa que será auditada. De acordo com a boa técnica, são dados esclarecimentos sobre o processo de auditoria que será utilizado, incluindo a fundamentação legal e teórica. 

(1) Leia, a seguir, excerto da Resolução ANP 43 Prática de gestão nº 3 Qualificação, treinamento e desenvolvimento do pessoal.

3.1 Objetivo

O Operador da Instalação conduzirá sua prática de gestão de modo a garantir que a força de trabalho exerça suas funções de maneira segura, de acordo com a estrutura organizacional e responsabilidades no sistema de gerenciamento de segurança operacional.

3.2 Estrutura Organizacional

3.2.1 O Operador definirá a estrutura organizacional da Instalação, estabelecendo a classificação de funções e as tarefas afetas ao cargo ocupado.

3.2.2 Baseado na classificação de funções estabelecida para a Instalação, o Operador identificará os níveis de treinamento, competência, habilidade e conhecimento específicos para a função, que habilitam o empregado a executar as tarefas afetas ao cargo por ele ocupado. Deverão ser enfatizadas as funções e tarefas consideradas perigosas ou que possam gerar impacto na Segurança Operacional e nos Elementos Críticos de Segurança Operacional.

3.3 Treinamento

O Operador da Instalação será responsável por:

3.3.1 Estabelecer os requisitos de treinamento para que a força de trabalho esteja apta a realizar suas tarefas.

3.3.2 Dimensionar o programa de treinamento de acordo com a classificação de funções e as tarefas afetas ao cargo.

3.3.3 Garantir que as contratadas estabeleçam os requisitos de treinamento e dimensionem os respectivos programas conforme estabelecido nos itens 3.3.1 e 3.3.2.

3.3.4 Estabelecer a qualificação e o treinamento necessários à realização das atividades previstas nos procedimentos operacionais.

3.3.5 Os seguintes tipos de treinamento deverão ser considerados:

3.3.5.1 Treinamento de Conscientização

Necessário para toda a força de trabalho, bem como para visitantes, sempre que houver ingresso em instalações cobertas por este Regulamento Técnico.

3.3.5.2 Treinamento Geral

Necessário para a força de trabalho designada para realizar operações, inspeções, manutenções e atividades de engenharia de forma rotineira.

Esse treinamento deverá ser conduzido como parte da implantação do sistema de gerenciamento de segurança operacional e com reciclagem periódica.

3.3.5.3 Treinamento Especializado

Necessário para a força de trabalho designada para realizar atividades específicas relacionadas a este Regulamento Técnico.

Esse treinamento deverá ser conduzido como parte da implantação do sistema de gerenciamento de segurança operacional e com reciclagem periódica.

3.3.6 Registro e Verificação dos Treinamentos

O operador deverá manter evidência de que a força de trabalho tenha recebido treinamento adequado ao exercício de suas funções, e criará meios para verificar, periodicamente, o cumprimento desde requisito.

(2) A seguir, leia texto sobre as vantagens da Norma ABNT NBR ISO 10015:2001 – Gestão da qualidade – Diretrizes para treinamento.

A grande vantagem de a empresa implementar a ISO 10015 é poder atingir o “estado da arte” no processo de desenvolvimento de seus profissionais.

Outras vantagens:

  • Oferece orientação centrada na tecnologia do treinamento e na aprendizagem organizacional. Está desenhada especificamente para satisfazer as necessidades relacionadas com a qualidade do treinamento.
  • As empresas familiarizadas com os sistemas de gestão da qualidade não terão dificuldade para implementar a ISO 10015.
  • Seu  enfoque é baseado em processos, o que é muito simples e prático.

Características essenciais da norma ISO 10015:

  • A ISO 10015 vincula os investimentos em treinamento com o desempenho organizacional.
  • A ISO 10015 exige que o treinamento tenha por base os princípios pedagógicos e os de aprendizagem organizacional.

Utilizando as diretrizes da Prática de Gestão #3 da Resolução ANP 43 e da Norma ISO 10015, o resultado das auditorias que realizo são realmente, surpreendentes.

Sergio Paz – sjfpaz@gmail.com

Profissional de RH com mais de 25 anos de experiência em empresas de vários setores da economia. Desde 2011 atua como auditor líder das práticas de treinamento nas empresas que prestam serviços à empresa líder no segmento de óleo e gás Desde 2005, atua na área de Petróleo e Gás como Administrador de RH.

 

Deixe uma resposta